Ensino Médio inovador: transforme seu plano pedagógico

Confira como o Colégio Crescer inovou na Gestão do Ensino Médio incluindo a tecnologia com significado na preparação para o ENEM.

Você já parou para pensar se o seu colégio possui um ensino médio inovador? Uma das questões que mais chama a atenção no Colégio Crescer, localizado em Jundiaí, é a responsabilidade com que trata o assunto “habilidades e competências” de seus alunos. O colégio completa 30 anos de fundação em 2016, tempo em que não só expandiram da Educação Infantil para o Fundamental e Médio como também para o campo da inovação e do crescimento pedagógico, criando um ambiente moderno e eficiente.

Preocupados com o desenvolvimento de seus alunos, os Coordenadores Pedagógicos Murillo Ferretti de Souza e Rosângela Godoy sempre trabalharam com simulados, aplicados constantemente pelos educadores do Colégio Crescer desde as turmas do 6º ano, estimulando a prática para uma inserção mais tranquila na vida acadêmica. Apesar de já obterem sucesso com o modelo de aplicação frequente ao longo do ano, os coordenadores ainda identificavam algumas lacunas que deveriam ser melhoradas:

 Principais desafios na Gestão do Ensino Médio: 

  • Os simulados não eram calibrados pela TRI (Teoria de Resposta ao Item) devido a necessidade de calibração com uma amostra representativa de alunos;
  • A  produção dos simulados exigia uma alta demanda de tempo dos professores;
  • A correção era realizada apenas por acertos e erros, o que gerava dados desvinculados às habilidades exigidas no ENEM ou a uma escala de habilidades.

 

Para resolver estas questões, a escola buscava um complemento ao seu modelo de diagnóstico que pudesse contribuir com estas e outras questões, enriquecendo ainda mais o trabalho docente.

Entenda a seguir como o colégio pôde aprimorar sua Gestão do Ensino Médio a partir da parceria com o MISSU e da implementação de um modelo de gestão baseado em evidências:

1 – Tempo de elaboração e correção dos simulados 

Tempo de elaboração e correção dos simulados

A escola aplicava um simulado calibrado pela TRI ao longo do ano, mas a demora no tempo de correção ainda era uma preocupação. Para este simulado, a escola precisava esperar em média três meses para obter os resultados detalhados do desempenho dos alunos. Este modelo não é interessante quando se trata de uma geração de alunos bastante curiosos e imediatistas. A resposta tem que ser rápida para garantir o engajamento dos estudantes.  

“Os simulados que aplicamos e que são calibrados normalmente demoram muito para nos retornar os resultados, em torno de 3 meses.” – Murillo.

A fim de aumentar a velocidade da correção dos simulados e diminuir a demanda dos professores neste sentido, o Colégio Crescer de Jundiaí se tornou parceiro do MISSU. A partir de resultados em tempo real, o MISSU contribuiu para que a escola acrescentasse velocidade ao seu processo de intervenção no Plano de Ensino.

Com um diagnóstico detalhado do desempenho de cada turma e aluno, foi possível encontrar pontos frágeis na aprendizagem e resolvê-los mais rapidamente:

“Com o MISSU temos um status das habilidades e da proficiência dos alunos em tempo real e isso nos possibilita entender aquilo que precisa de atenção e mudar o percurso quando necessário.” – Murillo

2 – Plano de ações pedagógicas fundamentado na proficiência em habilidades 

Plano de ações pedagógicas

 

Desde as turmas do 6º ano, os alunos do Colégio Crescer já realizavam simulados. As turmas do 3º ano do Ensino Médio respondem em média vinte simulados por ano, o que permite uma melhor preparação para a prova oficial.

A escola já possuía um planejamento pedagógico concentrado em habilidades, mas os diagnósticos ainda eram segmentados em acertos e erros e não refletiam a aprendizagem em uma escala de habilidades. Por este motivo, apesar da alta frequência de aplicação de avaliações, as intervenções no Planejamento Pedagógico ainda poderiam ser mais precisas.

A parceria com o MISSU contribuiu com a assertividade destas intervenções. A partir dos relatórios segmentados por alunos, turmas e habilidades, a coordenação do Colégio Crescer passou a reunir-se para elaborar planos de ações segmentados para cada área do conhecimento e planejar intervenções bastante efetivas:

“Depois dos resultados, nós disponibilizamos uma série de exercícios para que os professores entendam aquilo que foi positivo e negativo e reflitam sobre o impacto do trabalho deles nestes resultados, compreendendo aquilo que deu certo e o que precisa ser modificado”, afirma Murillo.

Esta estratégia faz com que os professores adaptem o plano de aulas com base nos resultados de proficiência em habilidades. Isso faz com que o professor pense em um conteúdo já o vinculando com as habilidades cobradas, transformando completamente o seu trabalho.

“A visão holística do desempenho dos alunos, das habilidades dominadas e das dificuldades são grandes aliados do corpo docente. Utilizamos isso como uma avaliação de todo o método de ensino-aprendizagem dos professores.”

Neste aspecto, o retorno rápido também é importante, propiciando uma correção instantânea no planejamento do professor e atuando diretamente nos resultados dos seus alunos.

“O MISSU monitora se o caminho está sendo trilhado ou não e diz onde corrigir os passos. As intervenções pedagógicas se tornam mais precisas neste modelo”, salienta o coordenador.

3 – Engajamento e motivação dos alunos no hábito de estudo diário 

Engajamento e motivação dos alunos

Um dos maiores desafios da escola no Ensino Médio é motivar e engajar os alunos na preparação para o ENEM. O contato próximo com o aluno facilita o engajamento na relação escola-estudante, podendo aumentar significativamente o senso de responsabilidade destes jovens. Murillo e Rosângela conversam constantemente com os alunos do Ensino Médio, principalmente com aqueles que fazem parte do 3º ano.

“Nós procuramos auxiliar na  tomada de consciência do estudo, orientando os estudantes”. – Murillo

Para os dois coordenadores é muito importante estimular no aluno o hábito de estudar diariamente, e, para isso, também contam com o MISSU. O Treino Diário do MISSU é composto por 4 questões do ENEM, uma de cada área do conhecimento, que expiram todos os dias às 23:59, criando um senso de urgência no aluno.

A escola desenvolveu  um modelo para bonificar os alunos que praticam os Treinos Diários do MISSU. A partir deste incentivo, o objetivo da coordenação é fazer com que o aluno crie o hábito de estudar todos os dias.

Para os alunos que realizam 90% dos Treinos Diários, por exemplo, é disponibilizado um bônus de 50% da nota do simulado.

No Colégio Crescer, os alunos realizam os simulados  e questões do MISSU em casa, gerando uma percepção positiva para as famílias quanto aos diferenciais da escola. Murilo diz que, nas reuniões, os pais comentam o aumento na dedicação dos alunos desde o início da parceria, destacando até que alguns colocam o despertador para lembrar de fazer as questões diárias.

A percepção positiva das famílias sobre as inovações da escola na preparação para o ENEM contribui para que a Coordenação Pedagógica possa continuar seu importante trabalho de desenvolver um ensino médio inovador, revisando as iniciativas docentes e planejando melhorias.

Por fim, o MISSU pôde contribuir com as iniciativas da escola e acrescentar importantes evoluções no processo de gestão do Ensino Médio. A Equipe Docente passa a concentrar-se cada vez mais no aprimoramento do processo de ensino-aprendizagem e menos em tarefas operacionais de elaboração e correção de simulados.

A parceria entre o MISSU – Missão Universitário e o Colégio Crescer, de Jundiaí, já gerou muitos frutos!

E na sua escola? Quais evoluções foram percebidas desde a implementação do projeto?

Projeto de Preparação do Ensino Médio focado em ENEM e vestibulares

Comentários

comentários