Por que sua escola precisa de diagnósticos de aprendizagem

Cada aluno tem uma velocidade e um formato de aprendizagem, por isso as turmas evoluem e respondem de maneira diferente aos estímulos pedagógicos.

Sabemos que existe uma grande variedade de fatores que interferem no processo de aprendizagem de uma turma, tais como: o histórico do aluno, o apoio familiar, as características psicossociais e cognitivas, as características do ambiente escolar, entre outros tantos.

Diante deste cenário, como entender as dificuldades, necessidades e prioridades pedagógicas de cada turma?

Claudio Franco, Diretor de Inovações da Mind Lab e idealizador do MISSU, destaca:

“A melhor forma de acompanhar e aprimorar progresso e o aprendizado dos alunos durante o ano é elaborar frequentes diagnósticos de aprendizagem das turmas. Os dados estatísticos encontrados devem ser utilizados na revisão do Plano Pedagógico da escola, na priorização dos conteúdos e no planejamento das intervenções no processo de ensino-aprendizagem.”

A palavra “diagnóstico” provém da medicina e significa a localização dos sintomas e causas – físicas ou mentais – de uma determinada doença ou distúrbio. Na educação, o termo é utilizado pelos “médicos da aprendizagem” e visa o acompanhamento e a avaliação diagnóstica da  aprendizagem de estudantes e turmas.

Mas, afinal, qual é a importância deste tipo de diagnóstico?
Como ele pode auxiliar gestores, coordenadores e educadores de escolas?

É comum escutarmos que uma turma que possui alunos com boas notas no boletim não enfrenta grandes dificuldades de aprendizagem. Apesar do bom rendimento nas notas bimestrais ou semestrais, os alunos podem ter dificuldades de aprendizagem que não são refletidas nas notas. Por vezes, a nota do aluno reflete um conhecimento momentâneo não-fixado por decorar o assunto, por exemplo. Por isso é preciso criar um modelo de avaliação que vai além das provas.

Sabemos que nem sempre é possível alterar o planejamento das aulas de acordo com o relatório individual de cada aluno, mas os Coordenadores Pedagógicos e o Corpo Docente devem entender a necessidade de adaptar a escola às turmas e não o contrário. Para identificar essas necessidades, dificuldades e evoluções, a escola deve fazer a avaliação e o diagnóstico da aprendizagem escolar.

Esse diagnóstico tem o objetivo de:

  • Identificar habilidades críticas e definir habilidades prioritárias para cada ano, semestre ou bimestre letivo
  • Sinalizar a necessidade de aulas de reforço segmentadas por áreas com base nas particularidades das turmas
  • Avaliar o progresso na proficiência dos alunos ao longo do Ensino Médio ou Ensino Fundamental
  • Permitir a revisão do Plano Pedagógico com base em evidências

No Ensino Médio – período dos vestibulares, do ENEM e de grande desafios para os alunos – é ainda mais necessário entender esse diagnósticos dos alunos e propor ações rápidas para vencer as lacunas no aprendizado.

As avaliações escolares e simulados calibrados pela TRI (metodologia utilizada no ENEM), que consideram o nível de proficiência do aluno nas habilidades, por exemplo, são uma boa alternativa para analisar os níveis de aprendizado das turmas do Ensino Médio.

Quer saber como criar uma boa estratégia com diagnósticos de aprendizagem?
Confira o artigo: Como utilizar diagnósticos para atualizar o Plano Pedagógico

Projeto de Preparação do Ensino Médio focado em ENEM e vestibulares

Agende uma consultoria gratuita para melhorar o desempenho da sua escola no ENEM e nos vestibulares

Comentários

comentários