7 estratégias para melhorar o desempenho da sua escola no ENEM 2016

O Exame Nacional do Ensino Médio é cada vez mais visado por jovens que querem ingressar em instituições de Ensino Superior brasileiras. O número de candidatos que realizam o exame vem crescendo exponencialmente a cada ano, assim como o número de Universidades que adotam o SISU como principal (ou único) meio de ingresso de novos estudantes.
O aumento da visibilidade do exame representa uma grande oportunidade para as escolas, que podem oferecer uma preparação cada vez mais especializada aos seus alunos. Contudo, esse fator representa também um grande desafio: com 8.7 milhões de candidatos participando do exame e a concorrência cada vez maior, como preparar seus alunos para se destacarem no exame e serem aprovados no curso e na universidade de seus sonhos?
Organizar o plano de estudo dos alunos, identificar as lacunas no desempenho do último exame, corrigir os pontos a desenvolver e reforçar os pontos positivos são apenas alguns dos desafios dos gestores pedagógicos para a preparação dos alunos.
Para ajudar as escolas com esses desafios, preparamos uma lista de 7 estratégias para melhorar o desempenho da sua escola no ENEM 2016:

1. Faça um diagnóstico pedagógico detalhado

Para realizar um planejamento eficaz e atingir um resultado satisfatório no ENEM, procure conhecer o histórico do desempenho da sua escola, descubra qual é o perfil dos estudantes das turmas e identifique as competências nas quais os alunos apresentam maiores dificuldades. Entender o cenário da sua escola no exame é muito importante para melhorar o desempenho e vai ajuda-lo a estabelecer as metas do planejamento.

Para realizar os diagnósticos pedagógicos, é importante fundamentar-se não apenas no histórico de desempenho no exame, mas em avaliações fundamentadas nos mesmos critérios do ENEM. Os resultados das avaliações devem gerar análises capazes de contribuir com o Plano Pedagógico dos professores. Para isso, é preciso que sejam detalhadas nas competências e habilidades da Matriz do MEC.

2. Estabeleça metas

Entenda onde quer chegar. Com base nos pontos favoráveis e desfavoráveis identificados no diagnóstico, é possível estabelecer metas para o plano de melhoria do desempenho dos alunos no ENEM.

Estabelecer metas realistas e prazos factíveis ajuda a escola a monitorar os resultados e verificar os avanços dos alunos ao longo do ano. Elas servem para nortear o planejamento e as ações e ajudam na manutenção do foco. É importante ressaltar que as escolas precisam ter metas gerais, como por exemplo conquistar uma boa colocação no ranking de classificação das escolas da região, mas também é necessário ter metas específicas, como realizar determinada quantidade de simulados até a data do ENEM e melhorar o desempenho dos alunos na redação.

Também é importante é inserir as metas relacionadas à performance no ENEM no Plano de Ação Pedagógico da Escola (se quiser acessar um guia de elaboração do Plano de Ação da coordenação, clique aqui).

As metas devem ser concentradas principalmente nas habilidades essenciais, que tem impacto direto em diversos aprendizados mais complexos.  A dificuldade dos alunos em geometria, por exemplo, pode ter origem em lacunas de aprendizagem dos conceitos de formas geométricas básicas. Para impacto de curto prazo no desempenho dos alunos dos últimos anos do Ensino Médio, é necessário um trabalho intenso de cumprimento das metas pedagógicas em paralelo. Para impacto de médio e longo prazo, é importante identificar a origem das fragilidades pedagógicas para planejar metas de intervenções desde os primeiros anos do Ensino Fundamental, já que muitas das habilidades essenciais de impacto direto no exame fazem parte do currículo destas séries.

3. Realize simulados frequentes

Os alunos da Geração Z (nascidos entre 1990 e 2010) são acostumados com o imediatismo e praticidade das novas tecnologias. Eles se comunicam, compartilham conteúdo, buscam informações e obtêm respostas em segundos. Esse hábito os mantêm motivados e dispostos a aprender coisas novas. E essa característica também deve ser aproveitada  na preparação dos alunos para o ENEM.

Testá-los frequentemente, oferecendo feedback constante, auxilia as escolas a entenderem as lacunas na aprendizagem e, principalmente, faz com que esses jovens se mantenham ativos, motivados e com um ritmo constante nos estudos. Sabemos que a criação do hábito constante de estudo é um dos principais desafios da Gestão do Ensino Médio, por isso atender ao imediatismo dos jovens com respostas rápidas sobre seu desempenho é uma importante forma de motivá-los, mostrando a distância entre sua realidade e seu sonho.

Sendo assim, o hábito de realizar apenas dois simulados no ano (no início do ano e às vésperas do exame) deixou de ser suficiente. É fundamental aplicar simulados constantes para manter o ritmo dos alunos e para identificar as competências que precisam ser desenvolvidas antes da prova. A partir das avaliações diagnósticas realizadas com frequência, torna-se necessário a elaboração de análises aprofundadas sobre as fragilidades dos alunos, formando o diagnóstico pedagógico e fundamentando as metas de ensino.

A partir da aplicação deste modelo de preparação, fundamentado em Avaliações ➡ Diagnósticos ➡ Metas, a escola passa a possuir um ciclo de intervenções pedagógicas de impacto direto na proficiência dos alunos e em seu desempenho no exame.

4. Transmita o senso de urgência aos alunos

A comunicação efetiva e eficiente também é um aspecto importante da preparação dos alunos. A escola precisa transmitir, de forma clara, o senso de urgência em relação aos estudos, especialmente entre os estudantes do 3º ano do Ensino Médio. Esses jovens estão em na etapa definitiva do processo de transição entre a escola e a universidade, que é uma fase que envolve grandes escolhas para seu futuro e, por isso, sentem-se muito pressionados pela escola, pela família e pela sociedade. (Confira o artigo: Motivação para a hora do vestibular: o principal desafio da escola no Ensino Médio)

Eles devem entender que o tempo é curto, a concorrência é grande e que o ENEM é o principal exame para ingresso no ensino superior. O objetivo é  fazer com que eles entendam que sacrificar seu tempo em prol desse objetivo vai valer a pena e dediquem-se cada vez mais. A escola também deve auxiliá-los na priorização do seu tempo e evitar que a ansiedade os atrapalhe nessa preparação. Para a orientação acerca dos estudos independentes, uma boa estratégia é a sugestão do Desafio dos 30 Dias de Plano de Estudos.

Montar um cronograma para divulgar as datas de exames, simulados, inscrições e do exame é uma boa estratégia para ajudar os alunos a organizarem seu tempo e criarem suas próprias estratégias de preparação para o Exame.

5. Reconheça os esforços dos alunos

Além de orientá-los e de transmitir a urgência necessária para a preparação para o ENEM, reconhecer o esforço dos alunos é essencial. Mostrar que a escola percebe e reconhece o valor desse esforço, discutir o plano de estudos com as turmas e adotar uma comunicação receptiva e dinâmica faz com que eles se sintam mais seguros e motivados.

Adolescentes gostam de recompensas, de ver seu trabalho valorizado e o reconhecimento é essencial para motivá-los. Isso faz com que eles continuem buscando melhorar seu desempenho e superar as expectativas.

Reconhecer publicamente os estudantes mais dedicados e oferecer recompensas pelo esforço dos alunos são formas eficazes de incentivar a preparação além da obrigatoriedade das notas e tarefas da escola. Reúna-se com as famílias e indique a mesma estratégia. É importante que toda a comunidade incentive a preparação e a dedicação dos alunos neste momento.

6. Valorize os professores

Além de valorizar os alunos, é essencial reconhecer e participar do trabalho do Corpo Docente. Quando os professores entendem a relação entre seu trabalho na sala de aula e o objetivo geral da escola, eles são mais motivados e dedicados a esse objetivo.

Alinhar o trabalho diário do corpo docente com o objetivo de melhorar o desempenho da escola no ENEM, compartilhando informações, atualizações da performance e dicas, é essencial. Isso faz com que todos entendam a importância de fazer parte desse planejamento e compreendam como o seu trabalho afeta o resultado final.

Os diagnósticos pedagógicos aprofundados devem ser compartilhados com os professores e suas ações de impacto devem ser valorizadas. Em reuniões periódicas por segmento ou área do conhecimento, os coordenadores, diretores e professores podem elaborar estratégias de melhoria da aprendizagem das habilidades essenciais. A partir do resultado destas estratégias, que será identificado em novas avaliações diagnósticas e simulados, a valorização do trabalho docente também deve ser valorizado! Os professores que realizaram ações de melhor impacto no desempenho dos alunos podem tornar-se mentores da equipe de educadores na ampliação da estratégia para novas disciplinas e áreas do conhecimento. Este tipo de iniciativa incentiva também a Formação Continuada dos professores.

O alinhamento do objetivo da escola às ações dos professores, unido às ações de valorização, faz com que todos percebam que sua atuação é determinante para melhorar o desempenho dos alunos no exame e procurem contribuir cada vez mais para esse objetivo.

7. Dedique atenção especial à redação

A prova de redação possui peso significativo em grande parte dos cursos e, para que os alunos obtenham sucesso no ENEM e no SiSU, é preciso dedicar atenção especial a esse aspecto do exame. Os candidatos do ENEM, em geral, têm bom desempenho em ortografia, sabem selecionar e organizar as informações e conseguem argumentar corretamente. No entanto, essas competências não são suficientes para garantir um bom texto, já que muitos pecam na hora de propor soluções para o problema abordado na proposta de redação do exame. Para saber mais sobre a dificuldade dos alunos na redação, acesse esse post.

Para melhorar a performance dos alunos na redação, é essencial estimular o trabalho frequente na produção de texto e oferecer uma orientação direcionada para o tema. O segredo dos treinos é engajar os alunos e motivá-los nessa preparação. Algumas ideias de ações eficientes para esse engajamento são:

  • Oficinas de redação, com diversos temas de interesse dos alunos e apresentadas por professores especialistas.
  • Concursos de redação entre os alunos: toda semana, por exemplo, os alunos da turma podem ser orientados a elaborar uma nova redação. As redações são avaliadas pelos professores e a melhor redação é colocada em um mural da escola, em um blog ou divulgada em um comunicado à comunidade escolar.
  • Redações surpresa com temas de ATUALIDADES! (Veja mais dicas sobre a preparação para a Redação do ENEM fundamentada em atualidades em: 10 Dicas para o seu Projeto de Preparação do Ensino Médio focado em ENEM e Vestibulares).

Estimulando e engajando os alunos na elaboração de textos, a escola faz com que os alunos se habituem e aperfeiçoem suas habilidades para a redação do exame.

Elaboramos essas dicas para ajudar sua escola a melhorar o desempenho dos alunos no ENEM de acordo com os principais desafios relatados pelas escolas. Queremos ouvir sua opinião!
O que achou das estratégias? Tem outras sugestões para compartilhar?  Quais são os principais desafios da sua escola na melhora do desempenho dos alunos no ENEM e no SiSU? Deixe sua mensagem nos comentários.
E não se esqueça de voltar aqui para nos contar os resultados.
Projeto de Preparação do Ensino Médio focado em ENEM e vestibulares

Agende uma consultoria gratuita para melhorar o desempenho da sua escola no ENEM e nos vestibulares

Comentários

comentários